Diagnóstico Final

Pilomatricoma (Pilomatrixoma)


Cortes histológicos revelam neoplasia bem demarcada circundada por cápsula de tecido conjuntivo. Nota-se a presença de ilhotas irregulares formadas por dois tipos de células epiteliais, basófilas e células sombra. As células basófilas têm citoplasma escasso e núcleo redondo a alongado. As células sombra têm limite preciso e mostram uma sombra central não corada (local do núcleo perdido). Observa-se ainda áreas de transição gradual de células basófilas para células sombra.

Discussão

O Pilomatricoma (Pilomatrixoma ou epitelioma calcificante de Malherbe) é um tumor com diferenciação no sentido das células pilosas, principalmente as células do córtex piloso. Ocorre frequentemente como uma lesão solitária e acomete principalmente a face e os membros superiores. Podem originar-se em qualquer idade, mas aproximadamente 40% origina-se em crianças com menos de 10 anos de idade e cerca de 60% em pessoas nas duas primeiras décadas de vida. (2) Em 1880, Malherbe & Chenantais, sugeriram que essas lesões fossem derivadas das glândulas sebáceas e desde então, recebeu o nome de epitelioma calcificado (depois calcificante) de Malherbe. E apenas em 1961, Forbis & Helwig introduziram o termo pilomatrixoma, definindo a neoplasia como uma lesão derivada de célula do pelo e evitando o termo "epitelioma", que tem conotação com malignidade. (1)

Referências

1. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-51752012000400023

2. Elder, D., et al. Lever Histopatologia da Pele. 10º edição. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, 2009.