Diagnóstico Final

Infecção pulmonar fúngica. Criptococose.


Cortes histológicos de pulmão revelam morfologia tecidual alterada. Os espaços alveolares expandidos mostram presença extensa de estruturas leveduriformes e macrófagos. A pesquisa de BAAR (bacilo álcool ácido
resistente) resultou negativa. A pesquisa de fungos por coloração especial foi positiva. Ausência de neoplasia na amostra.

Discussão

O Cryptococcus neoformans é ubíquo, uma levedura intracelular facultativa, constituída por cápsula mucoide. A Criptococose pulmonar ocorre mundialmente. A patogenicidade e as características histopatológicas da infecção pulmonar dependem do estado imunológico do paciente. No hospedeiro imunocompetente, na maioria das vezes o quadro é assintomático. Em imunocomprometidos, invariavelmente são sintomáticos, com frequente predileção para cérebro e meninges. As manifestações clínicas pulmonares são variáveis, não há um padrão definido de apresentação, pode variar desde dano alveolar difuso a pouca ou nenhuma reação em paciente imunocomprometido. Doença mimetizando neoplasia também é descrita em diversas infecções fúngicas.

Referências

1. Leslie, KO. Wick,MR. Pratical Pulmonary Pathology. A Diagnostic Approach. 2ª Ed. 2011

2. Robbins & Cotran. Fundamentos de Patologia. 8ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.